10
jul
Malala Yousafzai no Brasil

Durante sua primeira visita ao Brasil, no dia 9 de julho, a paquistanesa Malala Yousafzai defendeu a educação a longo prazo como melhor investimento no país, em especial para o desenvolvimento feminino.“O empoderamento das meninas vem da educação, tem a ver com emancipação”, disse. Ela participou de evento promovido pelo Itaú Unibanco, no Auditório Ibirapuera, em São Paulo.

Malala é a pessoa mais jovem a receber um Prêmio Nobel da Paz, na época com 17 anos de idade (2014). Com 15 anos, ela foi baleada pelo Talibã por se manifestar contra a proibição da educação para mulheres. A paquistanesa lembra que, quando era uma aluna em seu país, outras colegas de sua classe também defendiam a educação para as meninas. “A diferença é que os meus pais nunca me impediram de falar o que eu pensava”, relatou.

A ativista disse que um dos seus objetivos no Brasil é “achar meios para que as 1,5 milhão de meninas [fora da escola] tenham acesso à educação”. Outra razão que levou Malala a viajar para o Brasil foi a força dos ativistas locais descobertos por ela. A ativista quer promover a educação entre as comunidades menos favorecidas do Brasil, especialmente as afro-brasileiras.

Fonte: EBC Brasil

 

 

Malala, a menina que queria ir para a escola 

A jornalista Adriana Carranca visitou o vale do Swat dias depois do atentado, hospedou-se com uma família local e conta neste livro tudo o que viu e aprendeu por lá. Ela apresenta às crianças a história real dessa menina que, além de ser a mais jovem ganhadora do prêmio Nobel da paz, é um grande exemplo de como uma pessoa e um sonho podem mudar o mundo.

Páginas: 96
Lançamento: 27/04/2015
Selo: Companhia das Letrinhas

 

Eu sou Malala

O livro acompanha a infância da garota no Paquistão, os primeiros anos de vida escolar, as asperezas da vida numa região marcada pela desigualdade social, as belezas do deserto e as trevas da vida sob o Talibã. Escrito pela Malala em parceria com a jornalista britânica Christina Lamb, “Eu sou Malala” é uma janela para a singularidade poderosa de uma menina cheia de brio e talento, mas também para um universo religioso e cultural cheio de interdições e particularidades, muitas vezes incompreendido pelo Ocidente.

Páginas: 360
Lançamento: 25/10/2013
Selo: Companhia das Letras